x
Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais
A- A A+

Grupos de Trabalho

 

Introdução

 

De acordo com o Artigo 1º do Regulamento Interno da Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral (S.P.A.V.C) compete à S.P.A.V.C. criar e dinamizar Grupos de Trabalho (G.T.) para o estudo e resolução de problemas específicos relacionados com a doença vascular cerebral.

 

Âmbito

 

O presente regulamento visa estabelecer uma uniformidade de procedimentos relativamente à constituição, organização, competências e funcionamento dos grupos de trabalho da S.P.A.V.C.

 

Criação de um Grupo de Trabalho

 

Um G.T. é criado pela Direcção quer por iniciativa própria quer por proposta dos associados. A criação de um G.T. deverá ser divulgada aos sócios nas reuniões administrativas da S.P.A.V.C. e no site oficial da S.P.A.V.C.

As propostas de criação de G.T. serão apresentadas e discutidas com os sócios nas reuniões da S.P.A.V.C. No caso da formação de G.T. ser proposta por associados, deverá ser comunicada à Direcção da S.P.A.V.C a sua fundamentação e objectivos com um mês de antecedência relativamente à reunião da S.P.A.V.C.

Em circunstâncias particulares que se revistam de carácter de urgência poderá a Direcção da S.P.A.V.C criar G.T. sem a apresentação prévia aos associados.

 

Extinção de um Grupo de Trabalho

 

A Direcção da S.P.A.V.C poderá extinguir um G.T. quer por considerar que terminou a actividade para que foi criado quer por proposta do próprio Grupo.

 

Competências

 

Compete aos Grupos de Trabalho:

1. Elaborar um plano de actividades que será submetido à apreciação da Direcção da S.P.A.V.C durante o mês de Janeiro.

2. Dinamizar a participação dos associados na actividade que desenvolvem.

3. Apresentar semestralmente à Direcção da S.P.A.V.C um relatório das actividades em curso.

 

4. Apresentar a evolução das actividades desenvolvidas aos sócios, na Reunião de Outono.

 

Organização

 

1. Para cada Grupo de Trabalho deverá ser nomeado um coordenador ao qual compete a dinamização do Grupo e que será o interlocutor junto da Direcção.

2. Os G.T. são compostos por associados interessados nas respectivas actividades, não devendo o seu número ser inferior a 3 elementos.

3. Sempre que o Grupo o entender poderá agregar elementos não sócios desde que a sua participação o justifique, devendo previamente ser consultada a Direcção.

 

Funcionamento

 

Cada G.T. deverá reunir no início de cada ano para definir os objectivos e preparar o plano de actividades, bem como no meio e no final do ano para elaborar o relatório de actividades.